Petar-SP

O PETAR foi implantado em 1958, assegurando a preservação da maior faixa contínua de Mata Atlântica do planeta, seus recursos hídricos, minerais e fauna.

O PETAR é destaque quando o assunto é pesquisa científica, turismo, educação ambiental e recreação. Além disso, sua principal característica é abrigar uma das maiores concentrações de cavernas do Brasil (mais de 300 já cadastradas).

Possui um enorme significado e demonstra aos estudantes a necessidade de uma unidade de conservação explorando o senso crítico destes, enquanto expõem os conflitos que a mesma possui com as comunidades tradicionais devido à exploração de recursos naturais ser proibida.

Durante a viagem, estimula os alunos a perceber a diferença entre o Planalto Paulista e a Serra do Mar, observando as diferenças de moradias, comércios, indústrias, agricultura, vegetação, dentre outras.

Ao visualizar o rio Ribeira de Iguape nos limites da cidade de Registro, apresenta um histórico importante, mostrando como ocorreu a ocupação do Vale do Ribeira e os principais ciclos econômicos da região.

CAVERNA SANTANA

A Caverna Santana, com seus 800 metros de roteiro e galerias esculpidas pelo rio Roncador, é considerada por muitos uma das mais belas e ornamenta das cavernas turísticas do PETAR. Sua infra-estrutura é composta por diversas passarelas, escadas e pontes. Conhecer um lugar como este é sem dúvida uma oportunidade ideal para trabalhar o tema espeleologia (ciência das cavernas) no estudo do meio.

Temas abordados: Evolução geológica do planeta, formação das rochas carbonáticas, abertura e formação de cavernas calcárias, metodologias de pesquisas espeleológicas, histórico da espeleologia brasileira, lendas regionais, impactos antrópicos causados pelo uso da carbureteira e visitação em massa na caverna.

CAVERNA ALAMBARI DE BAIXO

Seu acesso é realizado por trilha pela antiga Estrada dos Tropeiros, estrada entre os municípios de Apiaí e Iporanga que atravessava o Bairro da Serra. O local é ideal para os alunos conhecerem um pouco sobre as histórias e lendas locais, além de apreciar a cultura e características da comunidade. A caverna retrata o histórico da geologia do Vale do Bethary e revela-se também uma grande aventura, pois seu percurso é dentro de um rio que, em determinado ponto, chega a alcançar a altura do peito.

Temas abordados: Lendas regionais, cultura local, evolução geológica, rochas intrusivas e educação ambiental.

CAVERNA ÁGUA SUJA

Chegar a Caverna Água Suja é sem dúvida uma das maiores aventuras da viagem. Atravessar o rio Bethary com o auxilio de uma corda, subir as escadas da trilha e caminhar pela bela mata ciliar, fazem a aventura se tornar inesquecível.
A caverna, por sua vez, guarda em seu interior maravilhosas galerias gigantescas, um rio com água cristalina que muitas vezes chega à altura do peito e, no final do roteiro, uma bela cachoeira para os alunos se banharem.

Temas abordados: Na trilha de acesso – antecedentes do local, mata ciliar, algumas espécies nativas da região como a Figueira, Araçá e o Palmito Juçara, comportamentos dos animais de cavernas (troglóbios, troglófilos e trogloxenos) e cadeia alimentar.

CAVERNA DO MORRO PRETO

Durante a caminhada pela Mata Atlântica, se deparar com a grande entrada da caverna e descobrir que a mesma foi habitada por nossos ancestrais não são a melhor parte da atividade. Ao chegarmos a famosa pedra do Rei Leão no interior da caverna, os visitantes se deparam com um maravilhoso visual da entrada, a luz que vem de fora decora o ambiente deixando muito mais nítida a impressão da imponência da natureza.

Temas abordados: Evolução das cavernas, indícios da passagem da água pelo teto da caverna, ocupação pré-histórica do local, fitocarste (relação entre a biologia vegetal e as cavernas) e zonas de iluminação.

QUILOMBO IVAPORUNDUVA

A região abrange cerca de 20 comunidades quilombolas, dentre elas, o famoso Quilombo de Ivaporunduva, pertence ao município de Eldorado. Neste quilombo, os alunos conhecerão a cultura quilombola através de palestra realizada pelo Sr. Ditão, atual líder da comunidade que expõe as tradições preservadas ao longo dos anos, os meios de sobrevivência das famílias, fontes de rendas, acesso às escolas e o atendimento médico.

A CBA (Companhia Brasileira de Alumínio) quer construir barragem no rio Ribeira de Iguape, único rio de grande porte do estado de São Paulo que ainda está livre de barragens. Esta construção impacta diretamente na comunidade do Ivaporunduva, alagando boa parte dela em nome do progresso. A comunidade hoje está organizada e participa do MOAB (Movimento dos Ameaçados por Barragens). Este tema gera diversas discussões sobre os aspectos positivos e negativos de uma barragem e estimula os alunos a criar opinião própria sobre o progresso X impactos ambientais.

Além de comprar artesanatos produzidos no local, os alunos podem participar da construção de casas de pau a pique, presenciar a produção de farinha de mandioca e cultivo da agricultura de subsistência.

Através do contato com o povo quilombola, os alunos irão notar as peculiaridades fonéticas na linguagem ribeirinha através de seus dialetos.

RESERVA BETARY

A Reserva Betary situa-se na região com a maior superfície contínua de Mata Atlântica do país. A bacia do rio Ribeira de Iguape, também conhecida como Vale do Ribeira, fica ao sul do estado de São Paulo, na divisa com o Paraná. Lá, os principais maciços florestais nativos estão protegidos por grandes unidades de conservação, como o Parque Estadual Turístico do Alto do Ribeira (Petar), conhecido por suas enormes cavernas, o Parque Estadual de Jacupiranga, entre outros. A reserva e o IPBio foram idealizados e financiados por Sérgio Pompéia, engenheiro agrônomo e presidente do conselho da CPEA – Consultoria, Planejamento e Estudos Ambientais.

Temas Abordados: Cogumelos bioluminescentes, plantas ornamentais, uma imensidão de anfíbios, tudo isso e muito mais pode ser observado a partir da infraestrutura do IPBio, que conta com sala escura, estufa, lago com cinco janelas submersas, aquários, laboratório com biotério (espaço para criação de animais), sala de aula, área de convivência, casa de hóspedes e restaurante. Algumas trilhas permitem usufruir da natureza no perímetro da reserva. O espaço oferece, mediante agendamento, visitas noturnas que permitem a observação da intensa atividade da fauna durante a noite.

CAVERNA DO DIABO

 A Caverna do Diabo é considerada uma das maiores e mais belas cavernas do Estado de São Paulo. Sua área de visitação turística é de aproximadamente 700m, possui estrutura interna com pontes, passarelas, escadas e luz elétrica o que facilita a visita e a transforma em uma das mais fáceis e tranqüilas aventuras da viagem.

Temas abordados: Informações gerais sobre normas e condutas no interior de uma caverna, lendas regionais quilombolas, impactos antrópicos causados pela transformação do ambiente e visitação em massa na caverna.

Entre em contato conosco


Horário de funcionamento:

Seg-Sex 9h - 18h

Tel:

(19) 3288-0828

(19) 3212-2010

Endereço:

Rua Luís Otávio, 201

Taquaral, Campinas/SP

CEP 13087-018

e-mail: contato@universoludico.com.br